segunda-feira, 23 de março de 2015

Preste atenção na mochila do seu filho!

Em escolas, as alterações e as queixas mais comuns são a escoliose, a hipercifose, a presença de algias vertebrais, a bursite do ombro e cabeça, a presença de retrações e contraturas musculares, a diminuição da força muscular geral, a diminuição da resistência a fadiga e a ocorrência de problemas respiratórios.

Já os sinais e sintomas freqüentemente referidos englobam dores, parestesias, limitações dos movimentos, diminuição da força muscular, cefaléia, cãibras, tensão muscular, tosse, hipersecreção brônquica e dispnéia.
O fisioterapeuta que esteja atuando em uma escola,seja ela pública ou privada, deve ser capaz e criativo para trabalhar de diversas formas. Inicialmente os alunos devem ser avaliados e a sua historia, essa avaliação deve ser interpretada e um programa de reeducação postural, respiratória e de atividades físicas deve ser introduzido às crianças.



Segue um artigo a quem interessar: A SAÚDE DO ESCOLAR POR UM OLHAR DA FISIOTERAPIA - http://www.convibra.com.br/upload/paper/2012/74/2012_74_4123.pdf


Nenhum comentário:

Postar um comentário